fazendo lar

NOSSA CASA, NOSSA COMUNIDADE

WhatsApp Image 2018-07-15 at 22.24.22 (2

"FAZER O BEM, INDEPENDENTE
DE QUEM. INDEPENDENTE DA
ONDE, FAZER O LAR."

conhecendo a comunidade

Vivência: Com tutoria presencial e/ou a distância, permitindo a leitura da realidade local mais próxima.
O objetivo dos encontros é criar um espaço de discussão e reflexão, conectando estudantes do Brasil com a cidade informal, elaborando alternativas no enfrentamento das desigualdades.

levantamento de dados

Levantar e analisar dados estruturados para obter informações claras e aplicáveis a realidade prática. Aprender os mecanismos sociais que produzem as limitações para o desenvolvimento sócio-espacial e qualidade de vida dos moradores neste território. Quantificar medidas internas e externas de cada lar visitado a fim de criar padrões e propor futuras intervenções.

como fazer

Divulgação: Divulgar nas redes sociais sobre o projeto para estudantes do 3º ao 8º semestre nas áreas de arquitetura, design, engenharia ou disciplinas similares.


Inscrições: A equipe deve receber os dados dos interessados por e-mail e confirmar a participação dos mesmos com envio do formulário.


Acompanhamento: É fundamental a presença frequente de um técnico e/ou um morador da comunidade no momento da visita e o acompanhamento de pelo menos uma vez na semana durante um mês para a conclusão do parecer do estudante sobre a casa e sua inserção no território.

o que já fizemos

o que já fizemos

antes e depois - casa d. nilda - 2019

Planta e Cortes.png

Planta e Cortes

antes e depois - casa da dani - 2022

Há dois anos, com a premissa de que todos merecem viver bem, o Fazendinhando, em um de seus projetos o FazendoLar, reforma espaços comunitários e casas no Jardim Colombo. Muitas famílias da comunidade vivem em condições insalubres e habitam moradias que não possibilitam qualquer desenvolvimento: físico, psicológico e emocional.

É neste contexto que surge a parceria entre CASACOR e Fazendinhando, unidos para potencializar os trabalhos desenvolvidos pelo Instituto, como a reforma da Casa da Dani, moradora do Jardim Colombo, que vivia em um espaço insalubre de 24m² com sua família.

A Casa da Dani era insalubre, cheia de infiltrações e com telhado quebrado, não possuía lavatório para as mãos no banheiro, não havia pia na cozinha - era um tanque, os ambientes não possuíam divisão e tudo era muito bagunçado. O revestimento estava caindo aos pedaços, as janelas e portas eram de madeira já bem desgastada e não possibilitavam a entrada de luz e ar. 

Atrás da casa há um barranco com muito barro. Nos dias de chuva, por causa da lama, há o acúmulo de água, o que prejudicava a casa diretamente. As paredes viviam mofadas, descascando e com cheiro ruim.
Através da reforma, na qual 60% dos materiais utilizados foram provenientes de doações, grande parte da CASACOR, a Dani e sua família ganharam uma gigantesca intervenção em seu lar. A primeira começou com o isolamento das paredes e a impermeabilização da casa. A segunda foi a troca do telhado, que agora conta com telhas ecológicas, muito boas porque diminuem a temperatura da casa em dias quentes e abafados.

A cozinha ganhou nova janela e porta, agora, com um material resistente à água e que não se desgasta com a chuva. Um novo gabinete com pia e um balcão foram instalados. O gabinete separa o quarto da cozinha e serve com mesa de jantar. A casa não possuía uma.

O projeto ainda conta com o aumento da parede do banheiro, que não chegava até o teto; uma lavanderia com tanque e varal de teto e nova hidráulica e elétrica.

Toda a parte de revestimento, piso e azulejo foram trocados por materiais de qualidade, e a decoração utilizou cores e tonalidades claras para dar a sensação de amplitude para os ambientes. Na fachada da casa, um tipo de bamboo foi aplicado para deixá-la mais bonita.

As telhas, o piso, argamassa, drywall e o balcão foram doações da CASACOR, que reaproveitou materiais de mostras anteriores.

A reforma baseou-se na qualidade estética e na funcionalidade, proporcionando dignidade e possibilitando diferentes usos dos ambientes à família. Alinhando a arquitetura da casa às necessidades apresentadas, o projeto atingiu sua proposta: promover o bem-estar.